A VALLUM ENGENHARIA vem participando de obras do maior programa de urbanização de vilas e favelas do país, o VILA VIVA. Este programa é gerenciado pela Urbel – Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte e tem como metas a redução da violência na cidade através da melhoria das condições socioambientais das populações em situação de risco.
A VALLUM ENGENHARIA participa de diversas destas obras executando contenções e fundações para implantação de edificações, abertura de vias e proteção de taludes. Em parceria com diversas empresas executamos tirantes, chumbadores, microestacas, estacas do tipo raiz, concreto projetado, GABIANCO®, reforço em contenção existente, entre outros serviços.
O programa prevê a reestruturação e revitalização dessas comunidades por meio de diversas intervenções: saneamento, remoção de famílias de áreas de risco, reestruturação do sistema viário, implantação de parques e equipamentos para esporte e lazer, construção de unidades habitacionais e urbanização de becos. Tudo com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos moradores desas áreas, ocupadas de forma irregular e desordenada ao longo de décadas.
O Vila Viva também abarca ações de promoção social e desenvolvimento comunitário, educação sanitária e ambiental, e a criação de alternativas de geração de trabalho e renda na própria comunidade. E, após o término das obras de urbanização, será feita a regularização fundiária com a emissão das escrituras dos terrenos aos proprietários.
A origem do Programa Vila Viva está relacionada ao Plano Global Específico (PGE), um estudo aprofundado das vilas, favelas e conjuntos habitacionais de interesse social de Belo Horizonte, com participação direta da comunidade local. Esse estudo – realizado em três etapas (levantamento de dados, elaboração de diagnóstico integrado dos principais problemas da área em estudo e definição das prioridades locais e das ações necessárias para atendê-la) – resultou na elaboração de um projeto com propostas de intervenções, cuja finalidade principal é ampliar a inclusão social e urbana das comunidades carentes à cidade formal. A proposta para cada um dos locais envolveu gestores públicos, técnicos lideranças comunitárias e os movimentos sociais. A população, que influiu ativamente na definição e hierarquização das melhorias que estão sendo implantadas, também é envolvida durante toda a execução do empreendimento.
Experiências locais e internacionais indicam que a urbanização de áreas favelizadas é fundamental na redução dos índices de violência. Com a reestruturação viária, os cidadãos têm melhor acesso às moradias; o caminhão de lixo, a ambulância e a viatura policial chegam a locais antes inacessíveis; o saneamento básico diminui os índices de doenças; a construção de apartamentos para famílias removidas propiciam-lhe um lar mais digno e confortável; etc. Outro aspecto positivo é o aumento da estima dos moradores, que passam a se sentir mais integrados à cidade.